Paperback ✓ Dispersão/Indícios de Oiro eBook ì

Dispersão/Indícios de Oiro ❰PDF❯ ✅ Dispersão/Indícios de Oiro Author Mário de Sá-Carneiro – Buyprobolan50.co.uk Esta obra inclui a edição integral das duas coletânea poéticas Dispersão e Indícios de Oiro apresentando um extenso estudo introdutório de Maria Ema Tarracha Ferreira elaborado com o rigor de i Esta obra inclui a edição integral das duas coletânea poéticas Dispersão e Indícios de Oiro apresentando um extenso estudo introdutório de Maria Ema Tarracha Ferreira elaborado com o rigor de informação sentido crítico e Dispersão/Indícios de PDF/EPUB ² sensibilidade literária a ue a autora habituou os seus leitores.


5 thoughts on “Dispersão/Indícios de Oiro

  1. Rosa Ramôa Rosa Ramôa says:

    Como Eu não PossuoOlho em volta de mim Todos possuem Um afecto um sorriso ou um abraço Só para mim as ânsias se diluem E não possuo mesmo uando enlaço Roça por mim em longe a teoria Dos espasmos golfados ruivamente; São êxtases da côr ue eu fremiria Mas a minh'alma pára e não os sente uero sentir Não sei perco me todo Não posso afeiçoar me nem ser eu Falta me egoísmo pra ascender ao céu Falta me unção pra me afundar no lôdo Não sou amigo de ninguém Pra o ser Forçoso me era antes possuir uem eu estimasse ou homem ou mulher E eu não logro nunca possuir Castrado de alma e sem saber fixar me Tarde a tarde na minha dor me afundo Serei um emigrado doutro mundo ue nem na minha dor posso encontrar me?


  2. Ana Lúcia Ana Lúcia says:

    O maravilhoso poema de Mário de Sá Carneiro tão especial para mim desde ue o li pela primeira vez uando ainda era uma meninauasiUm pouco mais de sol eu era brasaUm pouco mais de azul eu era alémPara atingir faltou me um golpe de asa Se ao menos eu permanecesse auém Assombro ou paz ? Em vão Tudo esvaídoNum grande mar enganador d´espuma;E o grande sonho despertado em brumaO grande sonho ó dor uasi vivido uasi o amor uase o triunfo e a chamauasi o princípio e o fim uasi a expansão Mas na minh´alma tudo se derrama Entanto nada foi só ilusão De tudo houve um começo e tudo errou Ai a dor de ser uasi dor sem fim Eu falhei me entre os mais falhei em mimAsa ue se elançou mas não voou Momentos de alma ue desbaratei Templos aonde nunca pus um altar Rios ue perdi sem os levar ao mar Ânsias ue foram mas ue não fixei Se me vagueio encontro só indícios Ogivas para o sol vejo as cerradas;E mãos d' herói sem fé acobardadasPuseram grades sobre os precipícios Num ímpeto difuso de uebrantoTudo encetei e nada possuí Hoje de mim só resta o desencantoDas coisas ue beijei mas não vivi Um pouco mais de sol e fora brasaUm pouco mais de azul e fora alémPara atingir faltou me um golpe d´asa Se ao menos eu permanecesse auém


  3. Sandra Sandra says:

    Prefiro a poesia mais concreta de Serradura uase não Possuo ou uaseMas o mais impressivo é Fim Mário de Sá Carneiro levou a sério a desistência


  4. Luis Alexandre Ribeiro Branco Luis Alexandre Ribeiro Branco says:

    Dois livros em um é isto é ue é Uma belíssima apresentação da vida e obra de Mário de Sá Carneiro realizada por Maria Ema Tarracha Ferreira seguido pelos poemas do poeta É possível ver em alguns versos sua estreita ligação com a morte algo ue veio ser concretizado uando o poeta ainda tinha seus 25 anos É impressionante pensar como uma pessoa tão jovem foi capaz de contribuir tanto para a literatura portuguesa


  5. Silvia Brandao Silvia Brandao says:

    Unnecessarily long introductionThe actual poetry? Phenomenal Poems that reflect the best of the Portuguese Modernism and FuturismThere's not a single poem where I can't find at least a couple of verses that blow my mind Amazing


Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *